Brasil

Estadão: novos ministros têm de ser bons articuladores

POR GBrasil | 15/11/2017
img/noticias/Estadão: novos ministros têm de ser bons articuladores
A

Além de capacidade técnica, o novo corpo de ministros a ser escolhido e nomeado pelo presidente Michel Temer (PMDB) precisa ter enorme capacidade de articulação política para encaminhar as reformas que o Brasil precisa, vaticina editorial publicado nesta quarta-feira pelo jornal O Estado de S. Paulo, com o título “Uma reforma anunciada”. 

 

O Estadão aposta que, ao contrário do que se tem dito por aí, inclusive por políticos do quilate do senador Romero Jucá (PMDB-RR), não haverá uma substituição coletiva de auxiliares, mas trocas pontuais. Entre os tucanos, diz o texto, Luislinda Valois (Direitos Humanos) deve ser a primeira a cair por razões óbvias. Antônio Imbassahy, na condição de cota pessoal do presidente, será apenas remanejado; e Aloysio Nunes permanecerá como chanceler de Relações Exteriores enquanto quiser.

 

CONFIRA O EDITORIAL: 

 

Uma reforma anunciada

 

Não era segredo a intenção do presidente Michel Temer de trocar alguns de seus ministros. Seja para adequar a Esplanada dos Ministérios à nova configuração da base de apoio ao governo, seja para liberar os seus auxiliares diretos que têm a intenção de concorrer nas eleições de 2018 – o prazo para desincompatibilização vencerá em abril –, a reforma ministerial já vinha sendo tratada às claras, com ampla repercussão da imprensa, e já tinha até um prazo definido para começar: o início de dezembro.

 

A saída de Bruno Araújo do Ministério das Cidades, comunicada ao presidente Temer ontem, antecipou em algumas semanas um movimento dado como inexorável.

 

Em sua carta de demissão, Bruno Araújo alegou a perda da sustentação oferecida por seu partido, o PSDB, como a razão maior para a sua saída do Ministério. “Agradeço a confiança do meu partido, no qual exerci toda a minha vida pública, e já não há mais nele apoio no tamanho que permita seguir nessa tarefa”, escreveu.

 

À primeira leitura, o racha do PSDB, cindido entre os que defendem a permanência do partido na base de apoio ao governo e os que propõem o desembarque, pode parecer, de fato, a principal razão para a primeira defecção tucana no primeiro escalão do Poder Executivo, após o início da guerra fratricida que tem reduzido a legenda a um amontoado de interesses paroquiais, carente da identidade que um dia já foi o seu principal ativo político.

 

Em entrevista ao Estado, Bruno Araújo disse que “não havia mais clima” para permanecer à frente do Ministério das Cidades porque o partido já não lhe dava o apoio necessário ante a própria desagregação da legenda. “Vou retomar o meu mandato de deputado na Câmara e construir as alianças para o ano que vem”, disse. De fato, não se pode desconsiderar a sua própria estratégia eleitoral. Filiado ao PSDB de Pernambuco, Bruno Araújo cogita candidatar-se ao governo do Estado, onde a popularidade de Michel Temer é baixa e poderia lhe trazer dissabores durante a campanha eleitoral do ano que vem.

 

O presidente Michel Temer deverá mexer nas posições dos outros três ministros do PSDB que atualmente compõem o seu governo.

 

Luislinda Valois, titular da pasta dos Direitos Humanos, é outra tucana que deve sair do governo em breve. Razões para isso não faltam. Aloysio Nunes, que faz competente gestão da política internacional brasileira à frente do Ministério das Relações Exteriores, deverá permanecer no cargo até o fim do prazo legal para desincompatibilização, em abril do ano que vem, quando deverá anunciar a sua candidatura à reeleição ao Senado. Já o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, deverá permanecer como uma escolha da cota pessoal do presidente Michel Temer, sendo transferido para outra pasta e, assim, abrindo espaço para a transferência da articulação política para um partido que, de fato, esteja comprometido não só com a agenda do governo, mas com a inarredável defesa das reformas que precisam ser tocadas no Congresso Nacional, sobretudo a reforma da Previdência.

 

Por conta dessas revoadas no ninho tucano, muito se tem especulado sobre as mudanças que o presidente Temer deverá fazer em seu Ministério. Nada indica que a reforma ministerial que acaba de começar prosseguirá com a substituição em bloco dos políticos em busca de mandato. Ao contrário, as trocas deverão ocorrer aos poucos, de acordo com os interesses políticos dos demissionários e do governo.

 

É fundamental que, neste momento de suma importância para a definição dos rumos que o País deverá tomar, a composição do primeiro escalão do Poder Executivo reflita o apoio que os partidos aliados, efetivamente, são capazes de lhe dar no âmbito do Poder Legislativo.

 

No momento em que uma nuvem tóxica dos interesses político-eleitorais parece obnubilar os interesses da Nação, o presidente Temer deverá escolher para o seu corpo de auxiliares diretos quadros que tenham, além de reconhecida capacidade técnica, a habilidade política para compor com suas bases partidárias e, assim, garantir no Congresso Nacional o bom andamento das reformas de que o País tanto precisa.

COMPARTILHE:

Notícias Relacionadas

Brasil 15/11/2017 Eleição custou de R$ 4,5 bilhões aos cofres públicos

Eleições deste ano só não foram mais caras que as de 2014, auge da corrupção envolvendo empreiteiras, que custaram R$5,1 bilhões.

Brasil 15/11/2017 Bolsonaro: há uma parte do governo Temer que funciona

Ministro das Cidades, Alexandre Baldy é o símbolo desta pequena parte do governo Temer que dá certo. 

Brasil 15/11/2017 Marcelo Aro tenta usar plantão no tribunal para reaver PHS

Aro perdeu o comando do partido para o goiano Eduardo Machado. Ele tenta usar plantão do TJ para atropelar juiz substituto.

Brasil 15/11/2017 Em dois dias, Baldy recebe parlamentares, prefeitos e lideranças de 15 estados

Em ritmo intenso de trabalho, o goiano e ministro das Cidades, Alexandre Baldy, atendeu, em apenas dois dias, representantes de 15 estados.

INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as notícias do Brasil e do mundo com publicações realizadas pelos melhores jornalistas do Brasil. A plataforma inteligente do GBrasil oferece o melhor do conteúdo jornalístico exclusivo para você.

ENVIAR
Obrigado por se inscrever em nosso site. Aguarde novidades!
ACOMPANHE AS NOSSAS REDES
  • Show da Manhã - Jovem Pan-GO