Entretenimento

MBL ataca Caetano e diz que fala em nome do “Brasil de verdade”

POR Colunista Entretenimento | 09/10/2017
img/noticias/MBL ataca Caetano e diz que fala em nome do “Brasil de verdade”
O

O grupo de direita Movimento Brasil Livre (MBL), em campanha para impedir a exposição “Queermuseu” de ser reaberta no País, respondeu em nota o músico Caetano Veloso - um dos artistas mobilizados contra censura na arte. Caetano havia dito, em vídeo, “o negócio do MBL, sinceramente, só gente idiota acredita que aquilo é pra valer”. Na nota, o Brasil Livre diz que fala em nome do “Brasil de Verdade”. O “Queermuseu” é acusado de ser uma exposição que faz apologia à pedofilia e à zoofilia.

 

 

  

Nota Oficial – MBL

 

Nesse final de semana, um grupo de artistas intimamente ligado à agenda da esquerda recebeu de braços abertos o curador da mostra “Queermuseu”, Gaudêncio Fidelis, e sentenciou: “não permitiremos que a censura prospere”. Seu líder, o intocável compositor Caetano Veloso, apontou o MBL como mal a ser combatido; sua ex-esposa Paula Lavigne prometeu enxurrada de processos sobre o movimento e políticos que se opuseram à naturalização da pedofilia. Guerra foi declarada.

 

A virulência e perplexidade dos bardos da esquerda brasileira é sintoma de um choque de realidade que não estavam preparados para enfrentar. Protegidos e mimados em sua redoma de fama e bajulação, achavam que o Brasil haveria de ser um gigantesco Video-Show, onde sorrisos compulsivos e discursos coloridos seriam repetidos sem contestação.

 

Supunham que todas as Donas Reginas haveriam de ser, apenas, categoria superada; que o Brasil haveria de se render a todos os seus Leblons e Vilas Madalenas, que o país era o palco onde eles brilhariam impunemente! Artistas que são, vivem de aplausos. E verbas públicas, claro.

 

Nesse sentido, é compreensível que reajam de forma agressiva e ameaçadora. Perderam Brasília no ano passado. Quando tentaram aliciar crianças para seu levante contra a “Pec do Fim do mundo”, foram desmascarados pelo MBL. Quando combateram reformas em nome da perpetuação da desigualdade, foram refutados e derrotados pelo mesmo grupo.

 

Fora do poder e ridicularizados no debate econômico, encontram-se acuados em suas tradicionais cidadelas: as universidades, as escolas, as redações e as leis de incentivo cultural. De lá, tentam orquestrar uma patética reação, lutando desavergonhadamente pela sexualização das crianças, destruição da instituição familiar e pela doutrinação política em salas de aula.

 

Que saibam porém, que o MBL não está sozinho. Somos apenas um dentre milhões que ousam desafiar tais vacas sagradas que, distantes da realidade, pretendem usar nosso dinheiro para nos difamar, nossa voz para nos calar, nossa luta para nos render. Falharão miseravelmente. O novo Brasil que se levanta vai privatizar suas universidades para investir em educação básica; terá escola sem partido para lutar contra a doutrinação sem limites; terá a internet para combater a imprensa que tem lado; e dará fim aos abusos representados pela Lei Rouanet e outros meios de transferência de dinheiro dos mais pobres para os mais chiques, bonitos e bem conectados.

 

Nós venceremos esta luta.

 

E venceremos pois não é o MBL que vocês combatem. É a Dona Regina. É o Seu João. A dona Maria. É o Brasil de verdade, que vocês tanto desprezam, mas que agora bate à sua porta. E esse Brasil não quer calar ninguém. Ele é pacífico, ordeiro e democrático. Ele exige, apenas, que seja respeitado.

 

Tratem de se acostumar com isso.

 

COMPARTILHE:

INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as notícias do Brasil e do mundo com publicações realizadas pelos melhores jornalistas do Brasil. A plataforma inteligente do GBrasil oferece o melhor do conteúdo jornalístico exclusivo para você.

ENVIAR
Obrigado por se inscrever em nosso site. Aguarde novidades!
ACOMPANHE AS NOSSAS REDES
  • Show da Manhã - Jovem Pan-GO