Você tem que saber

Brasil entra para elite da pesquisa matem√°tica

POR GBrasil | 25/01/2018
img/noticias/Brasil entra para elite da pesquisa matem√°tica
A

A IMU (União Matemática Internacional, em português) promoveu o Brasil ao grupo de países da elite mundial em pesquisa matemática. O anúncio foi feito no Rio de Janeiro nesta 5ª feira (25.jan.2018) pelo Impa (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), ligado ao MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), e pela SBM (Sociedade Brasileira de Matemática).

 

Com a promoção, o Brasil agora faz parte do Grupo 5 do IMU. O conjunto de países reúne as 11 nações mais desenvolvidas em pesquisa matemática: Alemanha, Canadá, China, Estados Unidos, França, Israel, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia.

 

A IMU foi criada em 1920 para promover a cooperação internacional em matemática e divide os países em 5 grupos de excelência. Atualmente, 76 nações são membros da organização.

 

A candidatura ao grupo, havia sido apresentada em 2017 pelo Impa e pela SBM. A IMU analisou dados do Brasil como o número e a qualidade de programas de pós-graduação e sua distribuição territorial, o total de publicações científicas divulgadas em meios importantes e os nomes de destaque na área de matemática.

 

A entrada no grupo ocorre no ano em que o Brasil sediará o ICM (Congresso Internacional de Matemáticos, em português). O evento acontecerá de 1º a 9 de agosto, no Rio de Janeiro. Esta será a 1ª vez em que o Congresso será realizado no Hemisfério Sul.

 

Em julho de 2017, o Brasil também havia sido sede da IMO (Olimpíada Internacional de Matemática, em português). Os eventos integram o Biênio da Matemática, de 2017 a 2018.

 

PRODUÇÃO MATEMÁTICA NO BRASIL

Nos últimos anos, houve 1 considerável crescimento da publicação científica do país na área. Prêmios foram obtidos pelos principais pesquisadores do país, como a medalha Fields, recebida por Artur Ávila em 2014.

 

Em 2006, quando o Brasil foi promovido ao Grupo 4, a produção matemática do país representava 1,53% da mundial, com 1.043 papers. Uma década depois, a produção nacional saltou para 2,35%, com 2.076 papers.

 

O secretário-executivo do MCTIC, Elton Zacarias, disse que o reconhecimento deve-se ao “envolvimento da indústria e da sociedade”. Ele reconheceu, porém, que ainda há uma atenção baixa à ciência no país. O investimento na área representa 1,3% do PIB (Produto Interno Bruto).

 

O diretor-geral do Impa, Marcelo Viana, disse que o  fato de a matemática brasileira estar ao lado dos países de maior relevância global representa o “reconhecimento da qualidade da pesquisa matemática” feita no Brasil.

COMPARTILHE:

Notícias Relacionadas

25/01/2018 Cleisla Garcia lança livro sobre suicídio juvenil

Autora prop√Ķe reflex√£o sobre o que √© poss√≠vel fazer para combater esse problema alarmante e ajudar quem est√° pensando em tirar pr√≥pria vida.

25/01/2018 TJ-TO julga caso que pode refletir na anulação de centenas de perícias agrárias

√Āreas em disputa na a√ß√£o s√£o as mesmas que deram origem √† Opera√ß√£o Maet, que em 2010 prendeu tr√™s desembargadores

25/01/2018 Físico Stephen Hawking morre aos 76 anos

Hawking chamava atenção pelo contraste entre sua vitalidade intelectual e sua fragilidade física. Ele sofria de doença degenerativa.

25/01/2018 Justiça do Peru cobra R$ 1 bi da Odebrecht

Trata-se de reparação pelos danos e prejuízos causados ao país pela corrupção praticada pela empresa, uma das estrelas da Lava Jato.

INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as not√≠cias do Brasil e do mundo com publica√ß√Ķes realizadas pelos melhores jornalistas do Brasil. A plataforma inteligente do GBrasil oferece o melhor do conte√ļdo jornal√≠stico exclusivo para voc√™.

ENVIAR
Obrigado por se inscrever em nosso site. Aguarde novidades!
ACOMPANHE AS NOSSAS REDES
  • Show da Manh√£ - Jovem Pan-GO