Goiás

Caiado não explica doações de empresas da Lava Jato

POR Colunista GO | 03/06/2018
img/noticias/Caiado não explica doações de empresas da Lava Jato
O

O senador Ronaldo Caiado (DEM) carregará uma mácula para eleição deste ano. Uma mancha na própria imagem que ainda não descobriu como limpar. Caiado recebeu muito dinheiro de empreiteiras investigadas pela operação Lava Jato na eleição de 2014. É verdade que o dinheiro foi declarado à Justiça Eleitoral, mas o que ninguém sabe é o que a Odebrecht, a OAS e a construtora C. R. Almeida pretendiam ao financiar o projeto político do senador. 

 

Da Construtora Odebrecht, via Diretório Nacional do DEM, Ronaldo Caiado recebeu 400 mil reais — quase meio milhão de reais. Como em outubro de 2014 (data da eleição), a empresa já estava sendo investigada pela Lava Jato — operação iniciada em março daquele ano —, o presidente do Democratas, sabendo a origem dos recursos, poderia ter se negado a recebê-los. Porque aceitou-os, mesmo sabendo a origem, o senador nunca explicou a contento. Limpo, possivelmente, o dinheiro não era — considerando o que disseram Marcelo Odebrecht e Norberto Odebrecht.

 

A Construtora OAS, da Bahia e espraiada por quase todo o Brasil, doou dinheiro ao Diretório Nacional do DEM, que repassou quase meio milhão de reais (exatos R$ 499.400,00) a Caiado, em 2014. O dinheiro chegou via cheque. O senador teria como recusar o recurso? Por certo, sim. A OAS é uma das principais investigadas pela Operação Lava Jato e integrava o chamado Clube do Bilhão — que se comportava de maneira semelhante à Máfia.

 

A Construtora C. R. Almeida, também investigada pela Operação Lava Jato, deu dinheiro ao Diretório Nacional do DEM — que repassou 400 mil reais para Ronaldo Caiado.

 

Dinheiro da Transrio Caminhões, Ônibus, Máquinas e Motores Ltda. — 300 mil reais — também aparece na campanha de Caiado. O recurso foi repassado pelo Diretório Nacional do DEM. Sublinhe-se que a mesma empresa doou dinheiro para o presidente Michel Temer.

 

A Sama S.A. Minerações Associadas, produtora de amianto — um produto condenado internacionalmente —, doou 300 mil reais à campanha de Ronaldo Caiado. Também não se sabe por qual motivo a empresa investiu tanto no senador.

 

A Gerdau Aços Especiais S. A. doou 100 mil reais a Caiado.

 

O eleitor que não cobra do senador explicações sobre estes repasses deveria repensar o seu comportamento. A pergunta é simples: por que estas empreiteiras depositaram valores tão altos em benefício de Caiado? Em política, não existe almoço de graça. 

COMPARTILHE:

Notícias Relacionadas

Goiás 03/06/2018 Família Tejota, que aderiu a Caiado, deve tudo a Marconi

Família comandada por Sebastião Tejota escalou mãe, filho, nora e agora outro filho para se consolidar financeiramente com a política.

Goiás 03/06/2018 Ibope/Adial: Marconi lidera disputa ao Senado com folga

Ex-governador tem 28% das intenções de votos. Já a senadora Lúcia Vânia (PSB) aparece em segundo lugar com 24% das menções.

Goiás 03/06/2018 Ibope/Adial: Caiado é o pré-candidato mais rejeitado

25% dos goianos afirmam que não votariam de jeito nenhum no senador. José Eliton, por outro lado, é o menos rejeitado.

Goiás 03/06/2018 Ibope mostra Eliton em crescimento e Caiado em queda

Na comparação com a pesquisa Serpes/O Popular divulgada em 10 dez de junho, Caiado caiu (ele tinha 38%) e José Eliton subiu.

INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as notícias do Brasil e do mundo com publicações realizadas pelos melhores jornalistas do Brasil. A plataforma inteligente do GBrasil oferece o melhor do conteúdo jornalístico exclusivo para você.

ENVIAR
Obrigado por se inscrever em nosso site. Aguarde novidades!
ACOMPANHE AS NOSSAS REDES
  • Show da Manhã - Jovem Pan-GO