Goiás

Desde dissidência do MDB, Caiado não gerou mais fatos políticos

POR Colunista GO | 30/04/2018
img/noticias/Desde dissidência do MDB, Caiado não gerou mais fatos políticos
2

20 de março de 2018: nesta data, cinco prefeitos do MDB organizaram ato na Assembleia Legislativa para declarar apoio ao senador Ronaldo Caiado (DEM) na eleição para governador e para protestar contra o pré-candidato do partido, Daniel Vilela (MDB). É verdade que o evento desestabilizou Daniel e deu força ao caiadismo, mas também é inegável que a campanha do senador entrou em estado de inércia depois deste dia. Nenhum outro fato político foi gerado. 

 

A promessa destes cinco prefeitos - Adib Elias (Catalão), Ernesto Roller (Formosa), Fausto Mariano (Turvânia), Paulo do Vale (Rio Verde) e Renato de Castro (Goianésia) - era dar início a uma sequência de deserções que “cristianizaria” Daniel no MDB. No entanto, depois deles nenhum dos 33 prefeitos do partido que marcham com Daniel compraram a ideia de apoiar Caiado. O movimento perdeu força e espaço no noticiário. Manchetes com ataques de Adib ao pré-candidato do MDB, por exemplo, já não vendem mais jornais ou captam audiência para blogs de notícia. 

 

A dificuldade da ala pró-Caiado em conquistar novos aliados no MDB foi tão flagrante que os dois deputados estaduais do partido que integravam esta ala se desfilaram: José Nelto e Lívio Luciano. Ao se desfilarem do MDB, Nelto e Lívio admitiram derrota na guerra por apoio à causa dentro da legenda. 

 

Igualmente desafortunada foi a briga de Caiado para conseguir aliados na base de apoio do governador José Eliton (PSDB). Somente três deputados estaduais se juntaram ao DEM antes do fechamento da janela partidária - e nenhum deles aderiu por convicção ou por convergência com as teses do senador. As questões (ou questiúnculas) que motivaram Álvaro Guimarães, Iso Moreira e Dr. Antônio foram paroquiais. Álvaro ficou magoado porque Eliton apoiou seu adversário, do PTB, na disputa pela prefeitura de Itumbiara em 2016; Iso não conseguiu convencer o governo a desarticular candidaturas do PSDB a deputado no nordeste goiano, ameaçam tirar-lhe votos; e Dr. Antônio teme ser preterido pela base aliada na disputa com o casal Flávia-George Morais na eleição para prefeito de Trindade em 2020. 

 

Na última pesquisa para governador, realizada pelo instituto Serpes e divulgada pelo jornal O Popular no dia 9 de abril, Caiado anotou 39,7%, quase cinco pontos a menos do que o último levantamento feito pelo mesmo instituto. A avaliação do meio político é a de que a tendência de queda vai se confirmar nas próximas sondagens se o senador permanecer na inércia. A questão - quase hamletiana - é como sair dela. 

COMPARTILHE:

Notícias Relacionadas

Goiás 30/04/2018 Família Tejota, que aderiu a Caiado, deve tudo a Marconi

Família comandada por Sebastião Tejota escalou mãe, filho, nora e agora outro filho para se consolidar financeiramente com a política.

Goiás 30/04/2018 Ibope/Adial: Marconi lidera disputa ao Senado com folga

Ex-governador tem 28% das intenções de votos. Já a senadora Lúcia Vânia (PSB) aparece em segundo lugar com 24% das menções.

Goiás 30/04/2018 Ibope/Adial: Caiado é o pré-candidato mais rejeitado

25% dos goianos afirmam que não votariam de jeito nenhum no senador. José Eliton, por outro lado, é o menos rejeitado.

Goiás 30/04/2018 Ibope mostra Eliton em crescimento e Caiado em queda

Na comparação com a pesquisa Serpes/O Popular divulgada em 10 dez de junho, Caiado caiu (ele tinha 38%) e José Eliton subiu.

INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail e fique por dentro de todas as notícias do Brasil e do mundo com publicações realizadas pelos melhores jornalistas do Brasil. A plataforma inteligente do GBrasil oferece o melhor do conteúdo jornalístico exclusivo para você.

ENVIAR
Obrigado por se inscrever em nosso site. Aguarde novidades!
ACOMPANHE AS NOSSAS REDES
  • Show da Manhã - Jovem Pan-GO